23/12/2007

GOP 2008-2012 e Orçamento 2008

O novo Orçamento da CML “prevê duas medidas fundamentais: a contracção de um empréstimo para pagar dívidas herdadas, e uma forte contenção na despesa por forma a não gerar novas dívidas”, seguindo “três linhas de orientação estratégica: contribuir para o saneamento das finanças municipais; governar com rigor orçamental, e mobilizar parcerias que permitam realizar o investimento sem sacrifício das finanças do município” 1.
Os Verdes” fizeram a sua análise aos documentos - Grandes Opções do Plano 2008-2012 e Orçamento 2008 - e detectaram que, no orçamento a receita desce, mas nem por isso os lisboetas vão pagar menos impostos.
Com efeito, comparando as previsões do orçamento de 2007 e 2008 - a receita de IMI (ex-contribuição autárquica), IMT (ex-sisa), Imposto de circulação e derrama - a receita sobe mais de 10%. E, entre os impostos directos que os lisboetas vão pagar em 2008, o IMI é aquele cuja receita mais cresce: 24%. Em matéria de contenção da despesa, as empresas municipais sofrem um corte de 50% nas transferências e os ‘culpados do costume’ - trabalhadores da autarquia - sofrem um corte de 5% 2.
De um facto, de uma coisa poderemos todos ter a certeza. Feitas as contas, os lisboetas vão pagar a factura da crise: mais 10% de impostos em 2008.

1. Ver
www.cm-lisboa.pt/?id_item=15339&id_categoria=11
2. Ver http://pev.am-lisboa.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=149&Itemid=33

1 comentário:

mc disse...

a subida do IMI até é de louvar, porque (assim se dizia, não confirmei se foi assim que foi aprovado) recai sobre prédios devolutos.
é uma boa ferramento contra a especulação e a favor da atracção de pessoas para a cidade.
agora os outros impostos....