15/12/2007

Trabalhadores precários do Município

Ao blogue dos trabalhadores precários do Município de Lisboa - que aqui literalmente se transcreve - chegou-lhes a informação de que o Departamento de Recursos Humanos se prepara para impor aos trabalhadores precários da CML uma nova modalidade de contrato de prestação de serviços, ou de avença, ou, segundo dizem, como queiram chamar à ilegalidade longamente praticada.
Estes funcionários do município alertam que irão todos ser colocados, perante a inevitabilidade de assinar sob a pena de rescisão do actual contrato, uma espécie de adenda armadilhada, se bem que ainda não tenham conseguido definir muito bem o que realmente se trata, enquanto figura jurídica.
Sobre a capa da virtude e de uma necessária ‘uniformização’, parece-lhes uma (mais uma!) brutal ilegalidade o que se prepara nesta vergonha em que se tornou a CML, mas aquilo que não têm dúvidas é que ao assinarem e concordarem com esta palhaçada estarão a sentenciar o seu posto de trabalho. Já se fala mesmo que, para além dos primeiros 127, mais 70 trabalhadores a recibos verdes terão sido despedidos.
O seu sítio na Internet contém, na íntegra, o texto que lhes estará a ser apresentado para assinarem, conforme o modelo recentemente chegado às Direcções Municipais 1. Como diz um comunicado do seu Sindicato, “é gato escondido com rabo de fora” 2.
Os desesperados comentários dos trabalhadores do município nos artigos deste blogue são verdadeiramente dramáticos. A situação não é para menos.

2 comentários:

Anónimo disse...

Sem desesperos, ver "Contratos voltam aos carris" em: http://www.gentedelisboa.blogspot.com/

M. Rosario disse...

Essa do sem desespero é mesmo para rir. O que mais me entristece é que o Bloco de Esquerda para defender o Sá Fernandes e os tachos que tem na CML goza com os precários.

Esse blogue de apoio ao Sá Fernandes é patético!