03/11/2007

Acalmia de trânsito

Os condutores portugueses são famosos pela violação sistemática ao Código da Estrada. Esta conduta, em particular o excesso de velocidade, o desrespeito pelas passadeiras e o estacionamento nos passeios impõem um risco acrescido aos peões.
As estatísticas mostram que um atropelamento a 60 km/h é quase sempre fatal, enquanto a 40 km/h a probabilidade de sobrevivência aumenta para 80 %. A situação pode ser corrigida, não exclusivamente, como propõem alguns teóricos, através de um sancionamento mais acentuado destas práticas 1, mas também por meio de medidas concretas nas vias de circulação.
No próximo dia 19 deste mês, recorda-se o Dia Mundial em Memória das Vítimas da Estrada. Será a sexta vez que Portugal assinalará esta data reconhecida pela ONU. O ano passado a efeméride evocou os milhares de mortos nas estradas portuguesas, tendo a data sido assinalada com a largada de balões brancos em Lisboa 2.
Entretanto, o blogue ‘Menos um carro’ recupera algumas sugestões antigas, divulgadas na comunicação social, e republica-as com toda a oportunidade 3.
Para além de ser indispensável corrigir o posicionamento da sinalética e semafórica do trânsito citadino, é possível introduzir rotundas, lombas, passadeiras iluminadas, zebras elevadas, estreitamento de vias e alargamento dos passeios, tudo medidas simples que poderiam concorrer para a redução das velocidades excessivas, contribuindo para o atravessamento mais seguro de peões e, por consequência, a segurança rodoviária.
Assim houvesse vontade política para pôr a qualidade de vida dos peões e nos bairros à frente da ‘via verde’ para os automóveis.
Os autores estão ainda de parabéns: o seu blogue faz este fim de semana um ano !

1. Ver
www.futurosustentavel.org
2. Ver http://jn.sapo.pt/2006/11/20/nacional/dia_memoria_marcado_sete_mortos_estr.html
3. Ver http://menos1carro.blogs.sapo.pt/70822.html