20/11/2008

Novo sistema de mobilidade pretende revolucionar as cidades

Um sistema desenvolvido pela Universidade de Coimbra vai permitir que, no futuro, os condutores de uma cidade tenham um “piloto” de mobilidade que indica em tempo real o trajecto mais rápido, seguro ou descongestionado, anunciou ontem um professor da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC).
O coordenador do projecto explicou que o “sistema se vai basear numa quantidade de dados de mobilidade fornecidos por operadoras de telecomunicações, transportes públicos, táxis e veículos pilotos, que permitem criar uma radiografia dinâmica da cidade”. “Essa informação será útil para o cidadão comum que todos os dias se desloca, dando a indicação do caminho que o leva a chegar ao destino mais depressa, com menor consumo de energia ou por um percurso mais saudável”.
Por outro lado, acrescenta o investigador, o sistema vai permitir “comparar trajectos, acompanhar os horários dos transportes públicos e sugerir alternativas de mobilidade”, podendo adaptar a oferta de acordo “com os padrões de mobilidade dos utilizadores”.
Segundo uma nota da FCTUC, este sistema “poderá revolucionar a mobilidade nas grandes cidades do país e do mundo” devido à sua capacidade de avisar o utilizador de que vai “deparar-se com uma estrada em obras, enfrentar uma longa fila de trânsito imprevista, esperar por um transporte público que não chega porque avariou ou entrar numa zona altamente insegura”.
O investigador afirma que o sistema é muito mais completo do que, por exemplo, os GPS que indicam o trajecto mais curto, mas “que às vezes é um engano muito grande, porque não têm em conta acidentes, condições climatéricas adversas ou congestionamentos”.
Citando o autor do projecto, a nota de imprensa da FCTUC salienta que “o sistema em desenvolvimento permitirá a construção de serviços simples que informem o utilizador para não circular em zonas complicadas, como, por exemplo, vias associadas à prática de carjacking”.
Em Portugal, numa primeira fase, o sistema vai ser aplicado nas cidades de Lisboa e Porto. Para já, os investigadores estão a criar duas ferramentas: um planeador de rotas multimodal através de um sistema informático gratuito para o acesso do cidadão e um sistema de apoio aos decisores políticos que “mostre a dinâmica da cidade, o comportamento diário e a evolução do espaço urbano para, caso seja necessário e adequado, poderem adoptar medidas de prevenção e correcção”.

Ver Lusa doc. nº 9023281, 19/11/2008 - 12:39

1 comentário:

nitaibezerra disse...

Transporte público, uma solução comum que favorece a maioria. Vejam o que estão fazendo para melhorar o nosso sistema de transporte público. www.onibusrecife.com.br